Newsletter - Página inicial      
  Sobre a Newsletter Fale Conosco
Página inicial Newsletter Virtual Editorial Dicas e Sabores Eles se Inspiraram... e Fomos Conferir Hospedagem em Campos
Editorial
Editorial
 
VEJA TODAS AS EDIÇÕES

Edição 36 - Nei Roberto, quem o conhece jamais esquece
Edição 35 - Boa comida, é possível encontrar!
Edição 34
- Doutor, vamos aumentar o capital em 0,5%?
Edição 33
- A luta é grande, mas o resultado compensa!
Edição 32
- Como diria o Prof. Sidrack de Holanda: CQD
Edição 31
- FAMTRIP Luxo - Campos do Jordão
Edição 30
- Reconquistar é mais difícil do que conquistar!
Edição 29
- O encanto do reencontro
Edição 28 - Sempre nos mesmos lugares e sempre revendo amigos
Edição 27
- Só em Nova York
Edição 26
- 15 Anos
Edição 24
- Mac que beleza!!!
Edição 23
- A Suíça precisa ser visitada
Edição 22 - Viajando com Caymmi e seu violão
Edição 21 - Vasco da Gama um eterno campeão
Edição 20 - Um profissional de antigamente
Edição 19 - Visita ao cardiologista
Edição 18 - O admirável mundo da filatelia!
Edição 17 - A vida de restauranteur não é fácil!
Edição 16 - Nova York é maior do que a inesquecível interpretação de Frank Sinatra
Edição 15
- Trabalhar com comida é coisa séria!
Edição 14 - Disposição não tem idade!
Edição 13 - Viajar sempre, nem que seja de Campos do Jordão até Taubaté!
Edição 12 - Reconhecimento bem-vindo
Edição 11 - Não possuímos microondas
Edição 10
- Parece fácil, e pode ser facil!
Edição 09 - As pedras se encontram
Edição 08 - 4, 6, 8, 12! …56?
Edição 07 - Aprendizado em Marketing nunca tem fim
Edição 06 - Pinçando algo, num mês farto...
Edição 05 - Ari, bom amigo e irmão camarada!!
Edição 04 - Obsessão por qualidade , numa cidade que precisa oferecer qualidade
Edição 03 - Ousar é preciso
Edição 02 - Novos e amplos horizontes
Edição 01 - Bons ventos

 
 
Nei voltou à ativa para dar aula na escola Aerosul de porto Alegre.
 

Nei Roberto, quem o conhece jamais esquece
Edição 36 - Outubro de 2012

Convenhamos, existem pessoas que conhecemos e que se tornam angulares. Nei Roberto é um destes personagens com quem convivo e que, ressalte-se, é um grande prazer. Quem o conhece vai entender quando afirmo que o melhor é não pretender mencionar suas experiências amplamente vividas. Páginas e páginas seriam necessárias. Conheço Nei Roberto há décadas e sempre que nos encontramos aprendo um pouco mais deste que é uma enciclopédia em experiências de vida.

Chegamos até mesmo, Nei Roberto e eu, a compor uma sociedade num restaurante. Sociedade proposta por Nei Roberto e que durou … precisos … trinta minutos. Sim, desfizemos a sociedade ainda nos estudos preliminares: Eu pensando num restaurante com fila de espera e Nei pensando num ambiente, com telhado de vidro, composto com um máximo de meia dúzias de mesas em que pessoas viriam jantar e passariam conversando horas a fio com o proprietário. Sim, Nei é um sonhador.

Nei Roberto foi, por décadas, Chefe de Comissaria de bordo da primeira classe da quase extinta VARIG. Para quem conheceu o serviço de bordo da VARIG (dos bons tempos) ainda que na classe econômica, com seus talheres de metal e elegantes copos de vidro pode imaginar a primeira classe (viagei algumas poucas vezes na primeira classe) e, garanto, foram experiências inesquecíveis). É só "cutucar" e Nei relembra seu vasto repertório de coisas vividas, mais ou menos dramaticas como o voo de aterizagem forçada (que lhe custou bons meses no estaleiro), passando pelo voo em que trabalhava e que trouxe o corpo de Ayrton Senna para ser enterrado no Brasil. A riqueza de detalhes de todos os casos fazem as narrativas absolutamente emocionantes prepare-se para ouvir por nunca menos de 15/20 minutos, cada caso.

Conheceu presidentes, primeiros ministros e os maiores esportistas. Selecionei dois casos dentre tantos que merecem ser ouvidos por quem tiver oportunidade. O cemitério de uma tribo no interior da África e o diálogo com Neil Armstrong … sim, aquele mesmo que foi o primeiro a pisar na Lua. Claro que Nei Roberto é gaucho e como bom gaucho torce pelos times do sul, como se Internacional e Grêmio fizessem parte de um outro país. Aliás, Nei Roberto costuma dizer que seu Rio Grande faz fronteira com o Uruguai, Argentina e com o Brasil. Na hora de partir na recente visita que fez visitando os amigos que deixou em Campos do Jordão para voltar a residir na serra gaucha ressaltou que seus "pilas" andam valorizados tendo em vista a desvalorização do Real. Se tiver oportunidade, confira.

 

Fausto de Moura Magalhães
fausto@grupomouramagalhaes.com.br

 

 

       
 
       
voltar ao topo
 
 
 
WEBZ - Comunicação Digital